sexta-feira, 27 de junho de 2008

FIM



Um Homem depois da sua morte mas ainda com alguma consciência da vida, procura o seu lugar.
Alguém o acompanha.
Entre o silêncio, as poeiras e os estilhaços de uma floresta morta, as vozes encontram-se numa poesia apocalíptica.
O céu retalhado, encobre o corpo já nu...a luz corrói todas as formas...O texto mudo acompanha a música... Fim.

3 comentários:

Digo Perigo disse...

O primeiro comentário ao teu blog!!!yeaahhh!!! Cinema com poesia, finalmente! Que exprimas nele toda a tua paixão pelo cinema. Os teus filmes são pérolas para se verem neste ecrãzinho, mas mostra-os... mostra-os sempre, porque isso pode ser importante para alguém! Para já, é para mim.

Contigo com paixão
Rodrigo

etanol disse...

*****
Maria João

sara rocio disse...

Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito obrigada.
Estou tão feliz por gostarem do meu jardim.
bjos