sábado, 15 de maio de 2010

Há um




























Há um hiato

Há um hiato, entre o por dentro e o por fora.

Intacto, inacessível, imóvel, inalterável na sua dimensão.

Existe...um hiato entre o que vivo... ou não viverei.. ou penso que vivi...

A proximidade... desampara-me...as alas...perco o sentido da zona segura no esquecimento daqueles....que se dizem...e estão sempre esquecidos...dos sentidos...de mim... do que me diz....

Ferem-me...não sabem....talvez inocentes do seu saber...ferem-me de não saber...de não sentir na sua inocência fria....e estúpida.

Inocência dos ignorantes dos sentidos e do amor...esquecem...mas eu não...esqueço aos pedaços...o resíduo fica...

Não queria...queria diferente...existentes, meigos, doces...presentes, verdadeiramente atentos...como numa noite de verão...quente e lenta...como numa valsa suave.

Um dia...o lamento não sustentará as suas magoas.... se as tiverem .....e as minhas...e tudo estará irremediavelmente perdido nos nossos escombros.


Fotos realizadas com a preciosa ajuda da minha querida Amiga Maria Miguel

2 comentários:

migalha disse...

o texto diz-me bastante, sinto-o...à minha maneira.
Maria Miguel? quem é ?:-)
para ti, e fora do trabalho, serei sempre e para sempre Migalha.
beijinho
mi

sara rocio disse...

querida migalhinha do meu coração...