segunda-feira, 4 de outubro de 2010

ser-bomba

as cinzas
percorrem-me as veias
deixo-me invadir
fecho os olhos
paralelamente a mim segue o rastilho
toma o meu passo no seu destino
já nada pode esquecer

Sem comentários: